Alguns dias são exatamente o inverso do que parecem. Vivi uma quarta-feira exaustiva, arrumando equipamentos para brassagem, enchendo caldeira de água e controlando pH, com cotações, pesquisa, lavagem de garrafas e panelas, cancelamento da brassagem, engarrafamento, limpeza de vidros, lavagem de garrafas e panela, planejamento para o dia seguinte no banco, engarrafamento, limpeza de vidros, pesquisa, cotação e… se eu mesmo olhasse para mim na metade do dia, pensaria não ter feito nada. Me ocorre que esses dias são aqueles em que é o inconsciente quem está mandando. Ele atina para algo que não dominamos, algo latente, por isso não deixa o dia andar. E quero acreditar nisso, me conforta acreditar nisso. Nem fui dormir enquanto senti que o dia tinha ainda o que dar, mesmo dormindo a cabeça não deixaria o tempo fechar o dia. Vou colocar a quarta na gaveta e rezar pela quinta, que ela seja mais sábia. Dias assim, de parecência invertida, são péssimos conselheiros. Vou cerrar meus olhos esquecendo do mundo e pensando… em olhos que sonham.