A Simples já não é um mosto, é cerveja. Na medição de hoje ela já mostrou 2,2% de álcool.

Na terça passada escrevia:

Simples. Essa receita começou a ser preparada hoje. Criei há alguns dias, a vontade de fazer uma cerveja fácil vem de muito tempo. Hoje o malte estará moído, os maltes que faltavam chegaram. Três maltes, dois lúpulos, um fermento, duas rampas de temperatura para obtenção do mosto, fervura, inoculação, decantação, envase.

Ainda ontem:

Brassagem 13067 – Simples – Estou resfriando o mosto que será a primeira leva dessa nova receita. E como chamar ela, que estilo tem, que tipo de cerveja é?
Cerveja clara, seca, de alta fermentação, teor alcoólico médio amargor baixo – Simples
Daqui a pouco o fermento começa a mágica da transformação, o chá vai mudar seus traços para ser chamado de cerveja.

Agora:

A fermentação é um processo interessante, provavelmente o mais intrigante da produção. Não fazemos nada além de manter o ambiente em condições para que o fungo cervejeiro transforme o chá doce -mosto- que é feito de malte em cerveja, pura, artesanal, saudável, honesta. Para que isso aconteça, para que a cerveja produzida não esteja estragada, é preciso cuidado, limpeza.
Creiam, se fizesse cerveja com a mesmo cuidado que faço pão, ainda assim, ela estaria contaminada. O processo é muito mais delicado. Pena que os órgãos reguladores não vejam a cerveja artesanal com o entendimento que vêem o vinho, por exemplo.
Estamos num momento muito delicado de regulamentações. Enquanto o senado mostra que falcatrua é punida com premiação, produtores artesanais por todo o país podem ser premiados com apreensão de equipamentos, multa ou impedimento de produzir, viver, criar seu universo, realizar sua natureza que deveria ser humana, e simplesmente por estarem trabalhando.