Às vezes tenho mania de sentir pontadinhas no coração.
Não por isso, mas fiz uns exames há algum tempo, incluindo esses de medir o coração com eletrodos e tal. O dito músculo parece que é um aço, é o que disse o médico e mostraram os exames. Me alimento até decentemente, e praticamente não cometo excessos. Tem coisas cotidianas ou emocionais que em particular nos afetam cardiologicamente; só que o sol por muitos dias não aparente, algumas faltas de poente, distâncias paradoxais, tons musicais relembrantes, sustos de trânsito e coisas do gênero -quem sabe infelizmente- quando sozinhas já não me afetam tanto.
Concluí que coisas que se acontecem solitárias não tem muita força em mim. Acordo muitas vezes ‘observante’ do mundo, porém noutros dias ‘sine qua non’ me vejo participante e assim penso que vivo por inteiro. As pontadinhas não se importam com minhas conjecturas e ‘de per si’ decidem quando aparecer. Mas sou curioso e dessa forma sempre inquiro, porque então elas?
Julgo que são de viver.