Distribuí algumas degustações de Maquiavélica, para perceber o impacto de uma cerveja excêntrcia entre as pessoas que já bebem outros rótulos meus há algum tempo. Também fiz minhas experiências. Hoje almocei com uma no copo.

Para avaliar a cerveja escolhi um método simples e direto.

Pedi aos degustadores que, segundo seu gosto -portanto não uma avaliação técnica- anotassem um valor para três características. Com 1 para muito ruim e 5 para muito bom, respeitando essa escala, deveriam avaliar Amargor, Sabor, Aroma.

Com esse questionário pretendo saber um pouco sobre o impacto que cada um tem ao beber. A pesquisa está ligada ao gosto individual, não procura um gosto generalizado para adaptar a cerveja, antes, procura perfis e percepções para então poder escrever e indicar a cerveja para quem está, provavelmente, mais disposto a experimentar.

Em algumas semanas coloco aqui uma soma dos resultados, talvez estenda isso àqueles que quiserem dar sua opinião. O exercício para mim está muito interessante. No quesito Amargor, levando em consideração o gosto individual, já atribuíram valor 1, ou seja, houve quem detestou… cerveja artesanal, quando de fato artesanal, é realmente muito diferente de cerveja industrial elaborada pelo departamento de marketing.

Sobre o prato. Tudo em fogo alto:

Frango bem temperado no fundo da frigideira, outros temperos grossos como cebolas em lascas depois, arroz cozido por cima, aperta bem para ficar ‘unidos venceremos’, serve num prato egoísta apoiado na boca da frigideira (vira) e para acompanhar, couve refogada. Simples.