Encarei novamente uma harmonização caseira. Faço na mesma linha da cerveja, experimentando muito, me divertindo. Dessa vez a namorada puxou pra uma pizza, a bem dizer duas. Minha Pale Ale maltada e já com amargor presente do lúpulo tinha que casar com a pizza. O caso é que a pizza tinha brócolis, que é leve.

Emendamos cebola, ovos de codorna, rodelas de tomate o queijo mussarela, um molho de tomate base que fiz com cardamomo, um fio de azeite, uma prosa leve de orégano. Até a cor ficou legal. Como a pizza não era de defumados, naturalmente salgados, havia contraste no amargor da cerveja logo que a gente põem na boca e a união do malte dela com a leveza da pizza no final. Como a namorada comeu uma pizza quase inteira e ainda deu uma bicadinha no meu copo, acho que ficou bom. Explicar bem não sei, “só sei que foi assim…”, como já escreveu o Suassuna.

…outro dia, outra brincadeira, volto a escrever quando voltar da cozinha, jantado, ou numa hora dessas.