Esse foi o primeiro sistema que utilizei. Funcionou, foi eficiente, gostei. Porém não era bom para higienização. Fui mudando, passei para os vidros, hoje voltei pra as bombonas de plástico, agora com outro conhecimento…

Aos poucos criamos equipamentos para a produção caseira. E nesse processo alguns se tornam obsoletos, equivocados, abandonados. Esse caso, dos fermentadores de ponta cabeça para aproveitar a base um pouco cônica, tinha um inconveniente. Por não ter ferramentas adequadas, optei por fazer as vedações com isopor de alta densidade, cavei eles e introduzi as mangueiras e registros. Mas o sistema ficou complexo e cheio de ‘cantos’. Cerveja caseira precisa de um cuidado primordial, limpeza e esterilização dos equipamentos por onde ela passa.

Parti então para outro modelo, os vidros de compota, aqueles grandes de 3 quilos. Muito bom, o melhor material que conheço para isso. Porém a quantidade… como eles possuem 3 litros, podemos utilizar 2,5 litros por vez. Quem faz 10 ou 15 litros ainda vai, como eu fazia, mas para quantidades maiores é muito desgastante movimentar tantos vidros entre a fermentação e a maturação.
Um detalhe importante, essa prática oxigena a cerveja e isso leva à oxidação. Para manter aroma e cor melhores, no produto final, é preciso muita calma nas trafegas e utilizando os vidros para grandes quantidades isso é muito difícil. Não quer dizer que a cerveja ficará ruim, quer dizer que ela vai perder bastante das suas melhores características consumindo um pouco do dedicado trabalho do cervejeiro desde a brassagem.

Por enquanto utilizo outro sistema, aliás inaugurei ele nesse mês de maio/12. Tambores de água de 20 litros cortados para caber em minhas caixas de isopor. Cheguei a utilizar galões de água mineral de 5 e dez litros, mas a dificuldade de lavar por dentro me desanimou.

Agora só uso tambores se minha mão puder entrar lá dentro com uma esponja e sabão. Só me animo a utilizar fermentadores e maturadores -panelas, vidros de fermento- se puder lavar mesmo, intervindo diretamente no interior deles, porque acredito que não há melhor princípio de higienização do que a limpeza geral, depois sim qualquer álcool 70 ou água iodada sanitizam, esterilizam.

Links para outros artigos aqui no blog:
Fermentação – Fermentadores 2
Tecnologia de grosso modo – Fermentação