Acabo de assistir um video da Brasil Brau em que o representante da cervejaria diz que está implantando três unidades produtoras, uma de cervejas premium, outra premium plus e outra super-premium… Que merda ouvir isso, é como dizer que o créu é bossa nova na velocidade 1, 2 e 3… Não importa se o que se fez é bom, a autoproclamação é só truque de marketing. Esse povo tá na onda da budweiser que entrou no Brasil como cerveja premium. Gente, aquilo era mentira de departamento de marketing, agora qualquer cerveja quer dizer que é ‘plus sou melhor que as outras’. Pena que estão escolhendo esse caminho de semântica ruim.
O Brasil está construindo um espetacular universo de ambeves artesanais, para mim, falta artesania e sobre oportunismo. Cervejarias artesanais, respeitando o que é um produto artesanal, estão diminuindo conforme as microcervejarias crescem em volume de produção. Não acredito que um empresário que monta cervejaria por oportunidade de negócio, porque pode dar dinheiro, tenha cuidado com o produto que entregará como o respeito cultural que o produto carrega ao longo da vida cervejeira. Por outro lado carregam mais uma avalanche de cervejas sem espírito para o mercado. Espero seja apenas um primeiro momento e que os novos ricos das microcervejarias olhem para a cerveja sem ‘limpar’ dos seus horizontes os cervejeiros que procuram outro caminho, diverso do mundo da repetitibilidade industrializada, quer ela tenha qualidade ou não.
Artesanal é um produto com identidade ímpar, obrigatoriamente tem identificação com quem o elaborou. Desde quando uma microcervejaria mantém os mesmo cervejeiros indefinidadmente como seus ‘patrimõnios culturais’ afim de manter a identidade requerida na artesanalidade. Quanta balela na carona de algo que não só não foi construído pela engenharia industrial como já foi praticamente destruído por ela.  Quando vamos aprender que não importa o que fazemos, o reconhecimento deve vir de fora, de dentro basta a aplicação verdadeira e, quando é verdade, o orgulho do que se faz para além da busca do lucro. Mania do povo se autoproclamar ‘prêmio’ no início das atividades sem ganhar nenhum com o tempo.