Se pasteurizar, o chope vira cerveja.
  • O gosto é quase o mesmo.
  • Uma cerveja seca, escura, amarga também pode ser um chopp.
  • No chopp a levedura em suspensão está viva, na cerveja quase não há vida.
  • A cerveja mantém sua características por mais tempo e demora mais para estragar.
  • No barril, servidas sob pressão em torneiras, temos tanto o chopp quanto a cerveja.
  • Chopp vendido em garrafa já está carbonatado, em barril o gás é adicionado na hora de servir.
Pessoalmente gosto de:
Cerveja em garrafas pequenas, bem carbonatadas para que a espuma seja cremosa, secas, maltadas, lupuladas moderadamente, de cor intensa, nem escura nem clara, com pouca turbidez, bastante frescas e não geladas, em taças com pedestal alto, acompanhando petiscos, com companhia, mais para a noite que pra o dia, sem muito barulho, sem música fútil perto.
Chopp com espuma rasa e densa, encorpados, levemente maltados, bem lupulados no aroma, de cor clara, com turbidez, gelado, em taças com pedestal baixo, acompanhando pratos como ‘carne de onça’, com ou sem companhia, mais para o dia que para a noite, com ‘um pouco’ de agitação, com boa música por perto.
(Pasteurizar significa matar a maioria dos microorganismos, bonzinhos ou mauzinhos,
para que o alimento demore mais para estragar. A cerveja pasteuriza
a uma temperatura entre 60 e 65 graus celsius por cerca de 15 minutos. Se ficar
mais tempo do que isso, ela cozinha e altera um pouco o gosto.)