Ontem fomos numa festinha, na casa de uns amigos. Eles estão fazendo promoções em casa, uma vez sopas e dessa vez crepes. É muito bom ir lá, e ja tem nome de Bistrô da Floresta Encantada. Os donos da casa são artistas, no malabar com fogo e na música. Já aproveito então e agradeço aqui a Dui Lora e ao Diego. O  povo que vai tem cérebro, um diferencial importante de outras festas.
Dessa vez estavam a Irene e o Massimo, casal amigo. Essa Irene garante o bom humor… minha namorada e eu gostamos dessa dupla, e muito.
Bebemos dois tipos de cerveja que levei, uma de teor 5,3 e amargor 13.5 e outra de teor 6,6 e IBU 14.8 que tava terminando a carbonatação. O pessoal que está conhecendo cerveja artesanal tem estranhamentos, surpresas, associações de memórias quando bebe cerveja assim. Isso, garanto, só acontece com cerveja artesanal mesmo, não acontece com as coisas vendidas em propagandas de massa. Conversas vao e vêm e vou aprendendo mais sobre o que produzo.
Daqui a pouco vou engarrafar um leva de dez litros. Amargor médio e cerca de 8% de álcool. Primming pra carbonatação em duas semanas… Curiosidade: Um vinho com 8% é fraquinho, porém uma cerveja já é bem forte com essa graduação. Essa mesmo já vai ser pra beber comendo carne, ou salame com polenta, fortaia, macarrão bolonhesa e aqueles queijos bem podrões.