Nas minhas garrafas informo o IBU* e o motivo é simples. Quem bebe minha cerveja uma vez, quando quiser beber novamente dentro do mesmo estilo e mesma classificação caseira**, pode comparar entre as levas***.
É claro que para outros cervejeiros caseiros e ‘marcas’ de cerveja a indicação de IBU não é muito segura ou precisa, mas dá uma ideia ao indivíduo. Se o IBU for alto**** o amargor está anunciado, então dá pra preparar o espírito antes da paulada… hehehe!

* Índice de amargor em unidades reconhecido internacionalmente ou ‘International Bittering Units’.
** Divido em faixas de graduação alcoólica, identificando com barbantes: amarelo de 3.5 a 4.5%, azul de 5 a 6% e laranja de 6,5 a 7,5%.
*** Como sou cervejeiro de panela, nenhuma leva fica exatamente igual a outra, porque até o índice barométrico influencia entre as brassagens, a ver que conforme a pressão -atmosférica no caso- a temperatura se mantêm mais estável ou se altera rapidamente dentro da panela, que não é hermeticamente fechada. E falo de variação acima de dois graus…
**** Até 15 vai numa boa. Daí até 25 o cara acostuma fácil, quando as cervejas são equilibradas e você já deixou de achar que aquelas porcarias anunciadas como ‘boas, redondas e tal’ são outra coisa. Acima dos 25 já é pra quem tem espírito mais aberto, curte conhecer e aprender novos sabores. Vale sempre conhecer.