Já falei sobre essa unidade de medida de amargor. Nem existe muito consenso sobre a validade dessa informação. Nos meus rótulos informo e dou importância pelo motivo que expliquei no artigo anterior.

Agora vou falar sobre duas formas de calcular o amargor, ambas dando a medida em IBUs que é… a sigla de International Bittering Units, ou Unidade Internacional de Amargor, fácil de achar no site da Season’s.

Uma das fórmulas é a Rager – Que tenho utilizado até a brassagem 12057 como única mostra de amargor.

Outra é a Tinseth – Que é a unidade mais comumente utilizada pelas microcervejarias e inclusive é a medida informada no BJCP que funciona como um guia de estilos, adaptado, falho, mas utilizado largamente por cervejeiros caseiros*.

O índice de amargor é mais do que um meio de sabermos se a cerveja é doce ou não. Os lúpulos, essa planta que fornece uma flor bem amarga fervida no mosto que é o chá doce obtido no final das brassagens, repassa para a cerveja muitos tipos de óleos. Essas substâncias alteram cor, sabor e aroma da futura cerveja. Saber quanto de lúpulo foi transmitido para a cerveja pelo criador da receita, dá uma ideia razoável do que poderemos esperar dela.

A partir de agora informarei o IBU em Rager e Tinsteh.

*(BJCP é a sigla para Beer Judje Certification Program, entidade fundada em 1985 nos Estados Unidos na intenção de “certificar” juízes para concursos cervejeiros.)